1

Pastor Adiel Santana Santos 

        

Tema: Um Pedido de Misericórdia; Graça Alcançada.

Texto: Lucas 18:9-14

“E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, desprezavam os outros:
Dois homens subiram ao templo, a orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!
Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado.” - Luc. 18: 9 – 14.

Jesus veio para salvar os pecadores, sendo eu de todos o principal, já dizia o Apóstolo Paulo. Jesus, Ele mesmo afirmou certa vez: “Eu vim para os doentes, pois, os sãos não precisam de médicos.” – Mar. 2: 17.
O Apóstolo João disse: Ninguém poderá dizer: eu não tenho pecado, isto nos torna mentirosos, pois, a Bíblia diz que todos pecaram, todos se desviaram do Senhor e todos nós carecemos da graça de Deus, de seu perdão e de sua misericórdia.
Mas graças a Deus Pai Todo-Poderoso que nos perdoou em Cristo Jesus! Aleluia!
“Achegai-vos a Deus e Ele chegará a vós, alimpai as mãos pecadores, e vós de duplo ânimo, purificai os corações, senti as vossas misérias, e lamentai e chorai, converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza. Humilhai-vos perante o Senhor e Ele vos exaltará!” -
Tiago 4: 8 – 10. Amém! Amém!
Se reconhecermos que precisamos de um Deus perdoador, qual deve ser então, a nossa postura para reivindicar o seu perdão?

Esta parábola nos fala de dois homens.
O primeiro homem é um fariseu. A Bíblia não diz o nome deste homem, mas, fala que ele fazia parte de uma das principais seitas dos judeus e de influência entre o povo. Os fariseus velavam para que a Lei fosse cumprida rigorosamente, como também, as tradições. Fariseu significa separados, porque, não só se separavam de outros povos, como também, dos outros judeus.
Os fariseus se preocupavam com o exterior, se lavavam antes de comer, lavavam os copos, os pratos, os jarros e observavam minuciosamente o sábado, que em vez de ser um descanso se tornou um peso.

Este homem fariseu se considerava um homem sem pecados, justo a ponto de desprezar os outros e fazia isto até na sua oração, então, orou a Deus se exaltando, fazendo uma lista dos seus feitos, fazendo uma lista de sua santidade e dizendo pra Deus tudo que religiosamente fazia, seus jejuns, seus dízimos, sua bondade, seus acertos e se exaltava por tudo isso.
O segundo homem era um publicano, um cobrador de rendimentos públicos, um cobrador de impostos. Os judeus consideravam estes como traidores da nação, pois, trabalhavam para os romanos que os oprimia e portanto, estes eram desprezados, não era um observador da lei e tão pouco era religioso.
Este homem do nosso texto bíblico em que o Doutor Lucas, escritor deste Evangelho, também, não diz o nome, se considerava um pecador, indigno, que no templo, de longe nem ousava a levantar os olhos ao céu e batia no peito, dizendo: “Ó Deus tem misericórdia de mim, pecador!”
Este homem não se vangloriava de coisa alguma, reconhecia seu estado miserável diante de Deus, um pecador e clamava por misericórdia.
A Bíblia diz: “Que Deus resiste aos soberbos, porém, dá graça aos humildes.” – Tg. 4: 6.

É preciso reconhecermos que não somos nada, que não podemos nada, e nada temos, pois, quem é o Todo-Poderoso, quem tem todas as coisas e quem tudo pode, é Deus - Senhor dos céus, Senhor da terra, que fez as estrelas no céu e cobriu o mar com a imensidão das águas e da terra seca fez brotar a vida e o vento faz soprar sem que ninguém saiba nem de onde vem e nem para onde vai. Aleluia! Glória a Deus! Aplauda ao Senhor!
Não somos melhores do que ninguém, somos todos pecadores, precisamos da misericórdia, e quando clamamos por Sua misericórdia, alcançamos Sua graça!

Clame pela misericórdia do Senhor; encontre Sua graça!
Entre estes dois homens, havia um abismo, uma enorme diferença:
O primeiro se achava já justificado diante de Deus.
O segundo se achava pecador.
O primeiro se achava melhor do que todos os homens.
O segundo sabia que não passava apenas de um simples mortal.
O primeiro tinha o coração soberbo, altivo.
O segundo tinha um coração humilde e quebrantado.

O primeiro por sua dureza de coração, voltou do mesmo jeito que entrou.
O segundo saiu justificado e purificado.
O segundo saiu aprovado e perdoado.
“Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado.” Este é um principio estabelecido por Deus para todos aqueles que querem alcançar a Sua maravilhosa graça. Precisamos entender que diante de Deus todos nós somos iguais. “Ele criou nosso coração e sabe exatamente como purificá-lo.” Somos todos feitos do mesmo barro e do mesmo sopro. “Somos pó e ao pó haveremos de ...

tornar.” Temos este decreto do céu sobre nossas cabeças. E isto é inegável!
Todos nós temos um pé manco, temos nossos defeitos e deformidades e, carecemos da misericórdia, da graça e do amor de Deus. Somos todos carentes deste amor poderoso do Senhor em nossas vidas. Carecemos de perdão e de vida!
Igreja amada, tudo de que precisamos é de um Deus que nos aceita, que nos receba ainda que na fragilidade da gente, que estenda a Sua mão graciosa à aqueles que humildemente se achegam a Ele, chamando-o de Pai, buscando seu perdão.
“Pai, perdoa-lhes!” – Suplicou Jesus na cruz!

Precisamos de um rei que perdoa nossas dividas, que troque nossas roupas sujas, nossas sandálias gastas, nosso anel amassado e que nos deixe assentar ao seu lado, junto à sua mesa e isto não porque merecemos, mas, sim; por Sua maravilhosa graça. Aleluia! Aleluia!
Jesus, Jesus – Este é o Rei de amor!
E viver para este Rei e o Seu reino, vale a pena! Vale a pena! Acredite!
Dê um aplauso ao Senhor e Rei de toda a glória! Deus é maravilhoso e esplêndido!
Somos os Mefibosetes da vida, que acoados, mancos, aleijados, vivendo por aí, de qualquer jeito, sem esperança, perdidos, distantes de Deus, destinados ao fracasso e à morte eterna, presos no pecado e na escuridão sem fim.
Mas, Jesus o Rei da glória, fez conosco, o mesmo que o rei Davi fez com Mefibosete, o filho de Jônatas, que o chamou para assentar-se na mesa no palácio real.
Mefibosete era manco, aleijado dos pés, não podia andar, mas, se arrastava com uma velha muleta debaixo do braço, fruto de uma queda em que o carro puxado por cavalos lhe passou sobre os pés, ainda, pequeno numa fuga em que a ama o deixou cair. A vida tem os seus percalços.

E por causa dos percalços da vida, não significa que uma cadeira no reino de Deus não é pra gente e que nem mesmo é isto que nos faz dignos ou indignos, mas, sim, é pela preciosa graça de Nosso Senhor, Salvador e Rei – Jesus! Aleluia!!!
Não viva amargurado pelos percalços da vida e nem tão pouco seja arrogante por tudo de bom que possa lhe acontecer nesta vida. Viva a sua vida com Cristo!
Jesus nos chamou, nos perdoou, nos libertou, nos curou, derramou o óleo fresco sobre nós, estendeu o Seu manto de justiça, cobriu nossa vergonha, tapou nossos defeitos com o Seu sangue, nos fez filhos de Deus, príncipes do reino de Deus e gloriosamente, triunfantemente venceu o mal, quebrou cadeias, nos deu a paz – Shallom Adonai – “A paz do Senhor esteja conosco” – Amém!!! E por fim, nos deu a vida eterna – Sua misericórdia, Sua graça alcançada. Glória a Deus! Aleluia!!!
Nos assentaremos com Ele em Sua mesa por toda a eternidade!
A sua boa aparência, o seu dinheiro, o seu carisma, a sua fama, a sua religiosidade, ainda que você diga: Vou ser um intelectual, saiba que isto não te faz um candidato ao céu e nem mesmo ao reino de Deus, é preciso ser humilde de espírito.
Jesus ensinou no Sermão do Monte: “Bem aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.” Mt. 5: 3.
Jesus não nos salva por nossas práticas interesseiras, ainda que pareçam ser bem intencionadas, não somos salvos por nossos esforços meramente humanos e nem mesmo pela vaidade de nossos corações ou nossa altivez, nossa ganância exarcebada, nem por vangloria, mas, sim, nos salva pela Sua graça e Seu amor.

Jesus nos salva porque foi o céu que fez tudo e ainda o fará, afim, de que nenhum de nós se perca.
Somos salvos, encontrados, perdoados e jamais nos perderemos de novo. Amém!
Jesus nos salva, porque somente um Deus grandioso faz por seus filhos, aquilo que eles não podem dar por si mesmos, nossas atitudes não compram a salvação, e, sim, somente um coração arrependido pode conquistar a vida eterna.
Somente um coração contrito e arrependido pede misericórdia, percorre a estrada da humildade, desliza pela avenida da fé, foge da trilha da vangloria, do atalho da soberba, mas, humildemente suplica, clama, pede ao Pai do céu misericórdia, graça, favor divino e se acha na posição de um mísero pecador, miseravelmente perdido, irremediavelmente sem chance alguma, de alguma coisa, sem mérito algum, sem feitos que justifiquem sequer qualquer santidade, mas, pecadores, pobres, nus, sem a graça de Deus e assim se achegam ao trono do Senhor, estes disse Jesus nesta parábola do fariseu e do publicano, encontrarão o perdão de seus pecados, serão justificados, alcançarão a grandiosa e maravilhosa graça de Deus, a graça de se tornar cidadão do céu. Amém!!! Aleluia!!!
Bendito seja Deus! Louve o Senhor!
O escritor Max Lucado disse: Mostre a um homem suas falhas sem apresentar-lhe Jesus, e ele acabará caído em uma sarjeta. Apresente a um homem a religião sem levá-lo a reconhecer a imundícia do pecado, e o resultado será um orgulhoso de ótima aparência cheio de arrogância. Mas reúna os dois com o mesmo propósito de coração, um pecador que quer encontrar o Salvador e, o Salvador que encontrar um pecador; e o resultado será um homem que se torna um pregador que incendeia o mundo com a mensagem do Evangelho.
O profeta Joel nos ensina o caminho para ter um coração novo, sem auto-suficiência e arrogância – “Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes. Convertei-vos ao Senhor vosso Deus, porque Ele é misericordioso, tardio em irar-se e grande em beneficência, e se arrepende do mal.” Joel 2: 13. Este é o caminho!
É por ele que devemos andar.
O publicano encontrou este caminho e rasgou o coração diante de Deus.
Como rasgar o coração?
Primeiro passo – Admitir a sua pobreza
“Bem-aventurados os pobres de espírito.”
Segundo passo – Admitir a tristeza
“Bem-aventurados os que choram.”
A alegria vem para aqueles que sinceramente se sentem tristes por causa de seus pecados. A alegria do Senhor vem quando deixamos a prisão do orgulho e nos arrependemos de nossa rebelião.
A Bíblia diz: “Aquele que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.” – Prov. 28: 13.
O nosso coração é um coração perverso, mas, é ali na cruz do calvário que Jesus fez a grande troca de todos os tempos, arrancou o nosso velho coração, o coração endurecido, o coração de pedra, insensível e nos deu o Seu coração, nos deu o coração de carne, um coração simples, sensível a Sua Palavra, ao toque do Espírito Santo e que apesar de não sermos ainda perfeitos, nós somos aceitos pelo Pai Celestial.
Somos aceitos, perdoados, justificados e ainda mais: “Somos declarados inocentes.” – Glória a Jesus!!! Aleluia!!!
“Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós, para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus.” – II Cor. 5: 21.
Por um pedido de misericórdia, alcançamos a graça de Deus!

Como Bartimeu, o pobre cego do caminho de Jericó que clamava e pedia: “Jesus, filho de Davi tem misericórdia de mim.”
Jesus parou e o curou, libertando da cegueira, da escuridão, colocando luz em seus olhos. Ali, Bartimeu alcançou a graça de Deus. Amém!!! É preciso ser humilde, porque o coração humilde, clama, percebe que precisa de ajuda e então, ele pede.
Precisamos pedir um milagre de Deus em nossas vidas!
Uma chinesa cristã, antes de ser batizada o pastor fez a ela uma pergunta para assegurar, se ela tinha entendido o significado da cruz.
Jesus tinha pecado? – Perguntou.
Sim. - Ela respondeu.
Perturbado pela resposta, o pastor tornou a perguntar. - Jesus tinha pecado?
Sim. - Tornou a responder.
E o pastor começou a corrigi-la, mas ela insistiu: - Jesus tinha os meus pecados!
Jesus levou sobre Si os nossos pecados, as nossas enfermidades e nossas iniqüidades.

Na cruz encontramos a maravilhosa graça de Deus à nossa disposição.
Se pedirmos, nós a encontraremos.
Se dissermos a Jesus tem misericórdia de nós; Ele terá, se dissermos a Jesus, dá-nos de Sua graça; Ele de verdade nos dará.
O Pai aguarda você à mesa do banquete celestial e se lá tiver uma placa para identificar os lugares, uma terá o seu nome, uma terá o seu nome. Não é incrível? Maravilhoso e lindo será este dia. Receba as boas vindas de Deus! Amém!!!

 
 

 

Copyright © 2001-2007 Igreja Batista em Milionários - All rights reserved.
Rua Santa Alexandrina, 573 - Milionários - Belo Horizonte - CEP 30620-830 - MG - Telefax.:(31) 3321-7894

" Toda honra, toda glória e todo louvor seja dada ao nosso Deus "

webdesign