Bíblia On-Line
 

Menu

Pibmilionarios.com
Agenda
Downloads
Hot Sites
Estudos
Materias

“Cansei de suas promessas”

O que fazer quando um dos cônjuges nunca cumpre o que diz?

 

Um dos pilares de sustentação do casamento se chama confiança. Quando um dos cônjuges passa a duvidar das palavras e atitudes de seu parceiro, a convivência entre os dois fica abalada.

É interessante observar que a confiança se consolida com a constatação da verdade em várias situações do dia-a-dia do casal. Por exemplo, você confia que seu cônjuge fala sempre a verdade e lhe é fiel. São inúmeras as circunstâncias que fazem você acreditar ou não em seu parceiro. E uma delas, que passa despercebida por muitos e que aos poucos vai minando o relacionamento, são as incansáveis promessas.

Existem esposas(os) que constantemente dizem: “Pode deixar que eu nunca mais vou fazer isso. Essa foi a última vez... Pode deixar que eu vou mudar. Acredite em mim!”. São frases repetidas e pronunciadas, algumas vezes, da boca para fora. Frases que tentam explicar um deslize. Porém, o que mais fere é que não são ditas uma ou duas vezes, mas várias. Quando isso acontece um dos parceiros passa a não dar mais crédito às palavras do outro. Surge, então, a dor da desconfiança e a mágoa.

Não são poucos os que chegam a dizer: “Cansei de suas promessas. Não acredito em nada do que você fala. Quero me separar de você”. São duras palavras, mas elas existem, essa situação existe e leva a destruição de muitos lares. O que fazer? Qual seria a solução? A separação?

Quem nos responde, é o pastor e escritor Ciro Eustáquio Lima de Paula que, juntamente com sua esposa, Iara D´Arc Diniz Lima de Paula lidera a Rede da Família da Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte. A Rede da Família reúne diversos ministérios dentre eles o Ministério Edificando um Novo Lar, que tem como objetivo dentre outros oferecer todo o suporte necessário à formação de uma família. Os outros ministérios que completam a Rede são o Casados para Sempre, Educação de Filhos à Maneira de Deus, Finanças, Veredas Antigas e Acampamento. Pastor Ciro explica:

“Realmente é uma luta muito grande que diversos casais enfrentam com esta situação. Em princípio, temos a dizer que o cônjuge precisa crer na atuação direta do Espírito Santo na vida da outra pessoa. Tudo é possível ao que crê (Mc 9.23). Muito pode em seus efeitos a súplica do justo (Tg 5.16). Assim, crendo nas promessas do Pai e pagando um preço de oração, marido e esposa podem ver a manifestação da glória de Deus em seus lares, podem experimentar o poder restaurador do Espírito Santo de Deus e, enfim, podem desfrutar da paz de Deus que excede a todo o entendimento. Quanto a atitudes práticas, pensamos que deve haver da parte do cônjuge que está sofrendo, compreensão, paciência, mas, sobretudo, amor. A outra pessoa sabe quando está errando e, muitas vezes, somente contando com a boa vontade de seu cônjuge é que ela vai conseguir vencer as dificuldades. Somos inteiramente a favor de uma luta ferrenha e aguerrida para que o casamento não seja desfeito. A pessoa precisa entender que aquele lugar é seu, seu cônjuge foi conquistado e lhe pertence e, por este motivo não deve abrir mão de forma alguma. No entanto, quando o cônjuge teima em continuar nos seus erros sem querer acertar a situação, aí entramos num estágio muito mais delicado. Isto porque errar é humano, mas permanecer no erro é tolice, não é verdade? Esta pessoa vai enfrentar as conseqüências de seus erros até que se arrependa e conserte a sua vida. Quando o problema é algum caso extraconjugal, mesmo assim o cônjuge precisa exercer a paciência e, mediante a fé crer que Deus tem poder para lhe dar a vitória. É claro que se a outra pessoa insistir em manter um relacionamento fora do casamento, desejando inclusive manter o casamento oficial, mas com outra pessoa entre eles, torna-se necessário chamar-lhe a atenção para que tome uma decisão. E esperamos que a decisão a ser tomada seja de abandonar o caso extraconjugal e voltar-se inteiramente para seu cônjuge. Infelizmente muitos têm tomado a decisão errada e acabam se enveredando pelo caminho do pecado, trazendo condenação para si mesmos. Talvez você possa se perguntar: ‘Eu vou ter que agüentar esse problema a vida inteira?’ Realmente é muito pesado pensar dessa forma. Por isto não desejamos que ninguém tenha de passar por esta situação. Nunca se conformar, mas buscar de Deus graça e sabedoria para saber proceder de forma tal que a outra pessoa reconheça o que seu cônjuge tem feito para manter a paz dentro de seu lar e trate de dar um jeito em sua vida. Aí as coisas ficarão melhores, com certeza. Finalizando, o princípio básico é o amor que deve existir entre o casal. Cada um deve compreender que ninguém é perfeito. Devemos reconhecer as qualidades um do outro e amar o outro com os seus defeitos, orando para que o Espírito Santo de Deus faça uma grande obra no sentido de aperfeiçoar cada um de acordo com a vontade do Pai que é boa, agradável e perfeita (Rm 12.2)”.

Esperamos que você tenha absorvido cada palavra que aqui foi colocada. Caso esteja passando por este problema, busque auxílio, não tente resolver nada sozinho(a), pois determinadas situações além de complicadas, podem levar a um desgaste maior. Que Deus abençoe a todos e que as únicas promessas que venham estar sobre a sua vida e a vida de seu cônjuge, sejam as promessas dadas por Deus, pois elas não são falsas, Ele as cumpre e não volta atrás.

Ana Paula Costa
Da Redação Lagoinha.com
anapaulacosta@lagoinha.com

 

 

Copyright © 2001-2002 Igreja Batista em Milionarios - All rights reserved